Archives for : março2016

Pedro foi nomeado Papa em Mateus 16:15-19 ?

mateus 16

A Igreja Católica Romana tem pregado por muitos séculos que Pedro foi nomeado por Jesus como “Líder dos Apóstolos” assim alegam ele foi o primeiro Papa da igreja católica. Se por acaso você pedir algum embasamento bíblico para eles, vão citar as seguintes passagens: Mt. 16:15-19, Lucas 12:31,32 ou João 21:15 – 17

A maior dificuldade de interpretação dessas passagens está em duas metáforas: A Pedra e a Chave;

Algumas interpretações superficiais pode sugerir que Jesus trocou o nome de Pedro nessa passagem e logo depois o nomeou como líder das igreja.

Primeiro fato: Jesus não trocou o nome de Pedro nesse momento, mas sim logo que o encontrou. Veja:
O primeiro que ele encontrou foi Simão, seu irmão, e lhe disse: “Achamos o Messias” ( isto é, o Cristo ).
E o levou a Jesus. Jesus olhou para ele e disse: “Você é Simão, filho de João. Será chamado Cefas” ( que significa Pedro ). (João 1:41,42)

 

Segundo fato: É necessário que a própria bíblia faça interpretação de seus textos mais complicados.

Veja o que o próprio Pedro diz em: E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa (1 Pedro 2:4)

ou seja, o próprio Pedro afirma que Jesus é a Pedra sob a qual a igreja está fundamentada.

Terceiro fato: Jesus deixou claro que não queria que nenhum dos apóstolos deveria ter superioridade sobre os demais, pois esse é o lugar de Deus.

Veja Mateus 23:8: “Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos”.

Quarto argumento: Na língua que foi escrito os evangelhos, o grego, Pedro não significa Pedra, “Petros” significa pedrisco, pedregulho, e nada pode ser edificado sobre pedrisco.

Quando cristo falou sob essa pedra, ele se referia a um firme alicerce que era a crença de que ele era o filho do Deus altíssimo.

Compartilhar

Como se livrar de um Pastor fraco?

Um grupo de crentes procurou o pastor de uma outra igreja, numa cidade vizinha, e perguntou-lhe:
– Pastor, estamos tentando achar um jeito diplomático de dispensar o nosso pastor. O senhor tem alguma sugestão de como podemos fazer isso sem sermos indelicados com ele?
– Mas, por que vocês querem se livrar dele?
– É que a nossa igreja está estagnada e infeliz, o nosso pastor não tem visão nem liderança, não sabe pregar e não é um homem de oração.

Após refletir uns instantes, o pastor aconselhou-os a agir da seguinte maneira:
a) Cada vez que ele pregar, recitem para ele os pontos do sermão na saída do culto, isso vai obrigá-lo a se preparar cada vez mais, pois agora ele sabe que vocês estão acompanhado atentamente as suas mensagens.
b) Cada vez que ele trouxer uma nova ideia, deem a ele todo o apoio que precisar para ela dar certo, e faça isso com entusiasmo, em breve a sua visão vai se abrir, pois agora ele sabe que pode “sonhar”, pois tem o apoio entusiástico da igreja.
c) Reúnam um bom grupo de irmãos e comecem a orar por ele, em breve ele vai estar orando com vocês e por vocês.

– Logo, logo, assim que ele estiver pregando melhor, tiver adquirido ampla visão de ministério e vida de oração, uma grande igreja o convidará e tirará ele de vocês. 

 

Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.
Hebreus 13.17

Como está o Celso?

– Bom dia, é da recepção? Eu gostaria de falar com alguém que me desse informações sobre um paciente.
– Qual e o nome do paciente?
– Chama-se Celso. Ele está no quarto 302.
– Um momentinho, vou transferir a ligação para o setor de enfermagem.

– Bom dia, sou a enfermeira Lourdes. O que deseja?
– Gostaria de saber as condições clínicas do paciente Celso do quarto 302, por favor!
– Um minuto, vou localizar o médico de plantão.

– Aqui é o Dr. Carlos plantonista. Em que posso ajudar?
– Olá, Dr Carlos. Precisaria que alguém me informasse sobre a saúde do Celso que está internado há três semanas no quarto 302.
– Ok, meu senhor, vou consultar o prontuário do paciente… Um instante só!

– Hummm! Aqui está: ele se alimentou bem hoje, a pressão arterial e pulso estão estáveis, responde bem à medicação prescrita e vai ser
retirado do monitor cardíaco até amanhã. Continuando bem, o médico responsável assinará alta em três dias.

– Ahhhh, Graças a Deus! São notícias maravilhosas! Que alegria!

– Pelo seu entusiasmo, deve ser alguém muito próximo, certamente da família!?

– Não, sou o próprio Celso telefonando aqui do 302! É que todo mundo entra e sai deste quarto o dia inteiro e ninguém me diz nada. Eu só queria saber se estou bem.

Papai vai passar a noite escura contigo

Certa vez um pai deu um castigo ao filho:
– Dormir no sótão.

Lá pela meia-noite o pai foi vê-lo e o encontrou com os olhos arregalados.
– Pai, deixe-me ir dormir na minha cama.

– Não, meu filho, você foi rebelde e precisa aprender a arcar com as conseqüências dos seus atos.

– Mas, pai, eu tenho medo de ficar aqui sozinho.

– Então, o papai vem dormir com você.

Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho (Hebreus 12.6)

Os Óculos do Carpinteiro

Um velho carpinteiro ficou encarregado de construir alguns engradados para as roupas que a sua igreja estava enviando para um orfanato na China.

No caminho de volta para casa, colocou a mão no bolso da camisa para pegar os seus óculos, mas eles tinham sumido. Quando repassou mentalmente as suas ações anteriores, percebeu o que acontecera: eles tinham caído dentro de uma das caixas, que à esta hora já estavam num caminhão à caminho do porto.

Era uma época difícil, ele estava sem dinheiro para adquirir óculos novos, e ficou muito constrangido com o fato, pois, já havia doado seu tempo e seus talentos em favor daquele orfanato. De certa forma, sentiu-se injustiçado, mas, logo superou isso, pois, Deus o abençoou, fazendo que um amigo suprisse a sua necessidade.

Vários meses depois, o diretor daquele orfanato voltou ao seu país e quis visitar todas as igrejas que o apoiaram na China.

Quando veio à igreja daquele carpinteiro, o homem agradeceu as pessoas daquela comunidade por sua generosidade em apoiar o orfanato. E, retirando os óculos do rosto, ele disse:
– Mas, acima de tudo, eu tenho que lhes agradecer por estes óculos que vocês enviaram. Alguns soldados comunistas tinham passado pelo orfanato e destruído tudo, inclusive meus óculos. Eu estava desesperado. Mesmo se tivesse dinheiro, simplesmente não havia como comprar óculos novos. Além de não poder enxergar bem, tinha enxaqueca todos os dias. Meus auxiliares e eu decidimos orar sobre isto. Foi então que os seus engradados chegaram e recebemos este par de óculos. Era como se eles tivessem sido feitos sob medida para mim! Eu quero lhes agradecer muito por eles. Deus os abençoe.

Os membros daquela comunidade não tinham a menor ideia de como aqueles óculos foram parar lá. O velho carpinteiro sorriu, mas não contou nada para ninguém. Até o dia de hoje.

Procure no lugar certo

Um rei presenteou a sua filha com um belo colar de diamantes, porém, num “belo” dia, ele simplesmente desapareceu. A princípio pensaram que ele foi roubado por um dos serviçais do castelo, mas, as investigações não deram em nada. A única pista veio do jardineiro que disse ter visto um pássaro negro voando com algo brilhante no bico.

O rei, então, ofereceu uma generosa recompensa a quem o encontrasse. A notícia se espalhou rapidamente e, quase que imediatamente, a maioria dos cidadãos empreendeu uma gigantesca busca ao valioso objeto em todos os recantos daquela cidade.

Certo dia um rapazinho voltava para casa quando viu um brilho num pequeno lago. Aproximou-se, olhou cuidadosamente e acreditou que era o brilho do famoso colar no fundo do lago. “Provavelmente o pássaro deixou o colar cair aqui”, pensou ele, já sonhando o que iria fazer com a recompensa.

Mas a tarefa logo se tornou um grande desafio, pois no fundo do lago havia muita sujeira e, tão logo ele mexia na água com uma vara, ela ficava turva e o colar desaparecia. Para não chamar a atenção de ninguém, o rapaz se afastava da água e ficava a meia distância esperando a água clarear.

Tentou várias vezes, mas não conseguia “pescar” o colar de diamantes. Por fim resolveu entrar na água, mas a situação ficou ainda pior.

Em sua ansiedade, o jovem não percebeu que um velho estava ali perto pescando e, estranhando o seu comportamento, veio lhe perguntar o que estava acontecendo. Ele tentou desconversar, mas o velho era insistente e, mesmo com medo de perder sua recompensa, ele acabou contando tudo para o estranho.

O velho, comovido com a inocência do rapaz, lhe disse:
– Parabéns, menino, você achou o colar do rei e merece a recompensa.
– Achei, mas não consigo por minhas mãos nele, desabafou o jovem.
– É por que você está procurando no lugar errado.
– Como assim, senhor? Perguntou o jovem.
O colar não está na água, mas, sim, pendurado naquele galho, disse-lhe o homem, apontando para o colar de diamantes preso num dos galhos de uma árvore ao lado do lago.

O jovem subiu rapidamente na árvore, pegou o colar de diamantes, agradeceu o velho e foi feliz em direção ao castelo receber sua recompensa.

No caminho, enquanto refletia no acontecido, tomou para si uma lição que levaria para sempre em seu coração: “Procure no lugar certo!”.

“O reino de Deus está dentro de vós” – Lucas 17:21

História de Silas, Jogador de futebol da seleção.

“Zico e Silas pro aquecimento”, gritou Telê Santana, aos 20 minutos do segundo tempo do jogo Brasil e França. Pulei do banco instantaneamente e comecei a agradecer a Deus enquanto fazia o aquecimento. A torcida incentivava: “Vamos lá! Vamos virar!”

No Brasil, 100 milhões estavam sofrendo e vibrando. Acho que eles tinham 70% de esperança no Zico e 30% em mim. O Zico entrou logo e perdeu o pênalti. Para mim, teria sido a grande chance da minha vida, justamente no momento mais dramático do futebol brasileiro na Copa do México de 86.

O jogo continuava 1 a 1, Telê só me mandou entrar em campo no inicio da prorrogação, 40 minutos mais tarde. Nunca me aqueci e orei com tanta firmeza em toda a minha vida!

Os 30 minutos da prorrogação significavam para mim um prêmio e uma chance. Entrei com tudo, disposto a correr por mim e por meus colegas desgastados pelos 90 minutos anteriores. Me sai bem no primerio lance contra Tiganá. Ganhei confiança e tive certeza de que Deus estava comigo. Não errei nenhum passe, não me cansei e nem senti o tempo passar.

No finzinho do primeiro tempo da prorrogação, ajeitei uma bola para o Careca, ele me devolveu, rolei um pouco a bola, vi que não tinha ninguém e enchi o pé! A direção estava certa e fiquei torcendo, mas ela tocou na trave de cima e foi para fora.

Se aquela bola tivesse entrado, o destino da Copa teria sido outro. Mas ela não entrou! O Brasil perdeu. Porém, isso não alterou em nada o meu destino, nem o de ninguém no Brasil, nem mesmo a minha confiança em mim.

Na verdade, a única jogada que mudou o rumo da minha vida, foi a que fiz quando aceitei a Cristo como meu Salvador. O destino da minha vida que antes era a morte (separação de Deus) é hoje a vida eterna que tenho em Cristo.

A paz, a satisfação, o senso de direção e propósito para minha vida, me dão a certeza de que a coisa mais importante do mundo não é jogar na Seleção, mas no time de Cristo, um time que tem até um lugar para você!

Silas – Meio de Campo do São Paulo Futebol Clube e da Seleção Brasileira.

Coisa de Louco, Ilustração para Sermões

Um homem visitava um hospício. O enfermeiro mostrava-lhe pacientemente os vários setores daquela casa.

Intrigado com a flagrante desproporção entre o número de funcionários e o de enfermos ali internados, o visitante perguntou:
– Vocês não têm medo de que os internos se unam e agridam vocês? Afinal, eles são em número muito maior!

O enfermeiro respondeu:
– Oh! Não, ninguém precisa ficar com medo. Os loucos nunca se unem.

Oh! quão bom e quão suave é
que os irmãos vivam em união.
(Salmo 133.1)

Um cheque em branco

John McNeil, pastor nas ilhas britânicas, relata que certa vez pastoreou uma igreja que tinha pesadas dívidas. Isso o preocupava, e ele orou muito a respeito.

Certo dia um estranho foi ao seu escritório e disse-lhe que tinha conhecimento da dívida da igreja e se ofereceu para ajudar.

A seguir, deixou um cheque em branco sobre a escrivaninha do pastor e o instruiu a levantar o valor exato da dívida e preencher cheque na quantia necessária, prometendo retornar mais tarde para assinar o cheque.

O pastor não podia crer no que acabara de ouvir. Depois que o desconhecido partiu, ele começou a racionalizar: “Isso não pode ser  verdade. Será que esse homem entende que nossa dívida chega a milhares de libras? Duvido que pagasse tudo, se soubesse o total. Mas, ele me mandou colocar o valor completo. Não, isso  seria injusto; seria querer tirar vantagem. Vou  colocar só a metade do valor.” E foi o que ele fez.

Quando o estranho retornou, assinou o cheque sem hesitar. Obviamente estava falando sério.

O benfeitor da igreja era um filantropo muito rico. Quando o pastor entendeu que o homem era plenamente capaz de cobrir a dívida, desejou ter escrito o valor total que a igreja devia, mas era tarde demais…

“Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos”

(Tiago 1.6-8)

Cheia de Majestade – Ilustrações para Sermões

Comecei a frequentar os cultos uma vez por semana nas tardes de quartas-feiras, culto da tarde da bênção. Ia acompanhando minha mãe e, sinceramente, ia meio forçada, pois a igreja ficava quase dois quilômetros de casa, uma “bela” subida para ir, e sempre o sol forte, pois o culto começava ás quinze horas.

Mas eu ia, e lá Deus começou a falar comigo através da Palavra, do louvor, e foi dando um outro rumo na minha vida espiritual, uma nova visão do amor imenso, da salvação de minha alma.

Foram se passando os anos e eu mantive firme nas correntes e propósitos, mas não me decidia no batismo, ainda ficava com o pé na outra canoa, até que um belo dia Deus falou-me pessoalmente. Lembro-me que o pastor pregava sobre ferro do machado que tinha caído na água e era emprestado, e ele clamou ao profeta, dizendo: Ai, meu senhor! ele era emprestado (II Rs 6.5).

As palavras eram ditas diretamente para mim, toda a mensagem. Parecia que o pastor estava lendo os meu pensamentos, foi então que ele fez o apelo, a decisão, de deixar Jesus ser o dono de sua vida (pois a vida nos é apenas emprestada).

E agora? Não queria assumir compromisso, não queria ser crente! E o pastor repetia, “levante-se e venha, que Jesus te chama”. E eu, lá, sentada, colada ao banco, não querendo ouvir a voz do pastor, fingindo que não era comigo. Até que, de repente, uma voz mansa e suave falou no meu ouvido: “Por que você não vem, se eu estou te chamando?”.

Eu fiquei apavorada, não entendia, não sabia o que estava acontecendo, era muito bom, chorava e tremia toda, e ainda fiquei no mesmo lugar, e Deus falou novamente e eu na mesma resistência.

Então, pela terceira vez o Senhor repetiu a frase “Por que você não vem, se eu estou te chamando?”. Neste momento eu ainda chorando e tremendo, corri então até o altar e diante da igreja eu aceitei ao Senhor como o meu Salvador e queria ser batizada.

A partir desse dia, Deus continuou a falar no meu ouvido com Sua voz linda, suave e tão amada que nunca me esquecerei. Bem diz o salmista: “A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade (Sl 29.4). Ela mudou a minha vida completamente.