Archives for : março2016

A Lamparina Acesa

Era uma vez um rei, que apesar de ser muito rico, era um homem simples; completamente desapegado de sua riqueza e extremamente querido de seu povo.

Um dia, quando um de seus súditos perguntou-lhe como ele conseguia conciliar tanta riqueza com tamanha simplicidade, ele ordenou aos seus soldados:
– Levem este homem aos meus depósitos reais. Dê-lhe uma lamparina acessa e deixe-o olhar e até tocar todo o meu tesouro, para que ele possa avaliá-lo para mim, porém, se ele deixar a lamparina se apagar, dê-lhe 10 fortes chibatadas.

Duas horas depois o homem voltou à presença do rei com a lamparina ainda acesa, e o rei lhe perguntou:
– Então, o quê acha, quanto vale o meu tesouro?

– Senhor, eu estava tão preocupado em não deixar a lamparina se apagar que nem consegui avaliar direito o seu tesouro, desculpe-me, senhor – respondeu o homem.

– Este é o meu segredo, confidenciou-lhe o rei, fico tão ocupado em manter acesa a chama da minha alma que nem reparo direito nestas coisas.

Compartilhar

O que significa a palavra Anátema da Bíblia?

Conforme lemos a bíblia encontramos diversas palavras que não foram traduzidas, pois, no grego é possível encontrar palavras que não tem tradução em nossa língua por motivos de TEMPO e CULTURA. Uma dessas palavras é a palavra Anátema.

Essa palavra de origem grega é formada da preposição aná – em cima, sobre e de uma forma do verbo tithemi – pôr, colocar

Esse termo era uma referência a uma oferta colocada em cima do altar que significava maldição, excomunhão, reprovação. Com o passar do tempo essa palavra mudou o seu significado e foi transformada. Por isso deve-se ter muito cuidado na interpretação da mesma.

Pois essa palavra assumiu o significado de que pode ser algo dedicado para o bem ou para o mal.

Por exemplo:
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. (Gal 1:8)

Esse texto acima refere-se ao sentido de devoto e abençoado. Já o abaixo sugere maldição.

Não porás, pois, abominação em tua casa, para que não sejas anátema, assim como ela; de todo a detestarás, e de todo a abominarás, porque anátema é. (Deuteronômio 7:26)

 

Baseados nisso segue um conselho: A leitura da bíblia deve ser muito cuidadosa, avaliando todo o contexto e também a linguagem, dessa forma é possível não ter interpretações erradas;

Ao estudar a bíblia uma vida inteira, não será possível desvendar os mistérios da mesma.

 

 

Os Ricos não vão para o céu? pois um camelo nunca passará pelo fundo da agulha

E lhes digo ainda: é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus”. (Mateus 19:24)

As vezes é possível concluir a partir desse versículo que um rico nunca se salvará, afinal um camelo nunca passará pelo fundo de uma agulha.

Esse é um versículo que tem “revirado o estomago” de muitas pessoas que ficam tentando desvendar o que Jesus estava querendo dizer naquela situação, desta forma surgiram várias interpretações desse texto usadas pelos cristãos de hoje.

Nesse artigo vou expor todas as interpretações e após isso expor a interpretação da igreja adventista que representa o que eu acredito.

1ª Interpretação: Erro de leitura e tradução da palavra grega “Kamelos”:

Os manuscritos mais antigos que descrevem esse acontecimento foram escrito com letras cursivas, sem acentuação e sem espaço. A palavra grega “Kamelos” que significa Camelo, poderia ser muito bem lida também pela palavra “Kamilos” que significa corda. Alguns cristãos acreditam que houve um erro na hora da leitura e tradução do texto original substituindo as duas palavras.

Porque eu não acredito nessa interpretação: Porque logo em seguida “Jesus olhou para eles e respondeu: “Para o homem é impossível, mas para Deus todas as coisas são possíveis“. (Mateus 19:26). Não é impossível passar uma corda pelo fundo de uma agulha. Então era um fato de que Jesus não estava se referindo a uma corda.

2ª Interpretação: Havia uma porta em israel chamada “fundo de agulha” pela qual os camelos passavam.

Aquino apresenta um comentário sobre Anselmo, na data (1033-1109 AD) declarando que este autor afirma que em Jerusalém havia certa porta, chamada “fundo de agulha” pela qual um camelo só passava se entrasse de joelhos, depois de lhe ser retirada toda a carga. Existem alguns outros documentos antigos que falam a respeito da mesma porta. Alguns cristãos acreditam que Jesus se referia a essa porta, indicando que assim como  o Camelo, o rico para se salvar teria que se desfazer do seus bens e entrar de joelhos do reino dos céus.

Por mais bonito que pareça, lembre-se que Jesus estava falando de uma IMPOSSIBILIDADE (MT 29:26), logo eu e a igreja adventista acreditamos na:

3º Interpretação. Ambos eram Literalmente uma agulha e um Camelo.

No passado existia uma falsa crença de que os ricos tinham mais chances de ser salvos do que os pobres, afinal nos primeiros livros da bíblia, a riqueza era sinal de “favor divino”. No tempo de Jesus acreditavam que se alguém era pobre, era porque tinham muitos pecados e não era fiel. Quando Jesus falou que era impossível um rico entrar no céu, as pessoas ficaram desanimadas pensando que ninguém poderia se salvar  (MT 19:25), não porque eram ricas, mas porque achavam que eram pior que os ricos.

O objetivo de Jesus nessa metáfora ou hipérbole, foi desincentivar o pensamento de que as pessoas estavam seguras com os seus bens e sendo egoístas querendo cada vez mais conquistar os seus próprios objetivos.

Ninguém que olha para si mesmo está seguro, a salvação só pode ser obtido ao olhar para Deus e para o próximo, essa era a infinita mensagem de amor que Jesus estava transmitindo nesse versículo.

Uma Viagem ao Céu e ao Inferno – Ilustração para Sermões

Céu e inferno: Diz a lenda que a certo homem foi dada permissão para visitar o céu e o inferno.

Primeiramente ele foi levado ao inferno.
Ao abrirem a porta, ele viu uma sala em cujo centro havia um caldeirão onde se cozinhava uma suculenta sopa.

Em volta dela, estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas; cada uma delas tinha presa à mão uma colher de cabo tão comprido que lhes permitia alcançar o caldeirão, mas não suas próprias bocas. O sofrimento era imenso.

Em seguida, o sujeito foi levado para o céu.

Ele entrou em uma sala idêntica à primeira; nela havia o mesmo tipo de caldeirão e as pessoas o mesmo tipo de colher presa às mãos, no entanto, todos estavam felizes e saciados.

– Eu não compreendo, disse o homem, como as as pessoas aqui conseguem se alimentar, ao contrário das pessoas lá do inferno, que estão passando fome?

O anjo sorriu e respondeu:
– Você não percebeu? Aqui eles dão comida uns aos outros.

“Servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu,
como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.”

I Pedro 4.10

Cenoura, Ovo ou Café?

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir de tudo. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia.

Seu pai levou-a até a cozinha, encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto.

Em uma, ele colocou cenouras, em outra, colocou ovos e, na última, pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra.

A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás.

“Pescou” as cenouras e as colocou em uma tigela. Retirou os ovos e os colocou em uma tigela. Então, pegou o café com uma concha e o colocou em uma tigela.

Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.

– Estão gostosas – disse ela.
– Estão duras ou estão macias? Perguntou-lhe o pai.
– Macias!

Pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse:
– Está gostoso… e firme – complementou a moça.

Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole de café. Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.
– Está muito gostoso, pai… mas, porque tudo isso?

E o pai explicou o que estava tentando lhe dizer:
– Cada um deles, a cenoura, o ovo e o café, enfrentaram a mesma adversidade, água fervendo, pelo mesmo tempo, cerca de 20 minutos, mas que cada um deles reagiu de maneira diferente.

– A cenoura era forte, firme e inflexível, mas, depois da água quente, amoleceu. Os ovos eram frágeis, mas, se tornaram firmes, rijos. O pó de café mudou a cor e o sabor da água.

Então lhe perguntou:
– Qual deles melhor representa você, minha querida? Quando a adversidade bate à sua porta, como você tem respondido? Sei que a vida não está sendo fácil pra você, mas tente fazer o seu melhor. Todos temos problemas, dificuldades, responsabilidades… mas temos que saber enfrentar as adversidades e usá-las a nosso favor.

A aprovação da vossa fé produz a perseverança;
e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma.
Tiago 1.3-4

Cave um metro a mais na vida

não-desista-de-seus-sonhos-cave-um-metro-a-mais

Derbi era um homem inquieto com a vida, cansado de trabalhar como vendedor nos EUA, resolveu vender tudo o que tinha.

Comprou um pequeno sítio no interior do estado do Colorado e começou a preparar o terreno para plantar.

Ao escavar o terreno ele encontrou uma pedrinha brilhante e após analisá-Ia descobriu que era ouro puro, com muita esperança e determinação ele chamou os seus parentes e amigos mais íntimos e formou um grupo para procurar ouro. Ele também resolveu comprar todos os terrenos vizinhos, adquiriu máquinas e equipamentos pesados, cavou, cavou, cavou e não encontrou mais ouro. Seus parentes a amigos começaram a desanimar, pois o ouro não aparecia.

Onde estava a mina?

Todos os membros do grupo, um a um, pediram de volta a Derbi o que tinham investido, ele ficou sozinho com um grande terreno e muitas máquinas, mas não pretendia desistir e continuou cavando, porém suas esperanças foram minguando e também desistiu. Vendeu tudo ao primeiro que apareceu interessado naquelas terras que para ele não valiam nada.

Voltou para a cidade e recomeçou sua atividade de vendedor, quando alguém não queria comprar, ele não insistia e logo desistia, era um vendedor de seguros fracassado e infeliz.

Certo dia ele leu uma notícia no jornal que lhe chamou a atenção: “Descoberta uma das minas de Ouro mais valiosa do mundo”. Leu a matéria e viu que a mina era no Colorado e o que mais lhe entristeceu é que eram nas suas antigas terras, aquelas que ele vendera por uma ninharia.

Continuou a ler o jornal e viu a declaração do proprietário do terreno: “Nós não tivemos muito trabalho para achar a mina principal. Tivemos apenas que cavar um metro a mais e pronto”.

Ao ouvir aquilo, Derbi se lamentou profundamente e mandou gravar uma placa que dizia: “Na vida tudo depende de se cavar um metro a mais”.

Com esta frase na mente ele saiu à luta e mais uma vez recomeçou sua vida como vendedor de seguros e em pouco tempo ele se tornou o melhor vendedor da empresa e comprou uma parte dela.

Ele não ouvia mais o não como resposta. Insistia, persistia e trabalhava com otimismo. Acreditava que na vida, tudo dependia de se cavar um metro a mais.

Não demorou muito ele comprou a empresa em que era funcionário e também suas concorrentes. Tornou-se um especialista em vendas e técnicas de vendas e um homem vitorioso.

Sabendo que a tribulação produz a perseverança,
e a perseverança produz a experiência.
Romanos 5.3-4

O Cavalinho Teimoso

Uma vez um cavalo caiu num velho poço abandonado. O resgate seria muito caro. Então, o fazendeiro ordenou que aterrassem o poço com o animal lá dentro.

Mas, à medida que as pazadas de terra caiam no seu dorso, ele se sacudia todo e a terra ia pra debaixo dele. Assim, aos poucos, ele foi subindo junto com a terra, até uma altura em que pode ser retirado de lá com uma certa facilidade.

O dono havia decidido que ele iria morrer, mas, o cavalo era teimoso e não concordou muito com ele.

Saiu suado, fatigado, com a língua de fora, mas… saiu!

Os que esperam no Senhor
renovarão as suas forças;
subirão com asas como águias;
correrão, e não se cansarão;
andarão, e não se fatigarão.
Isaías 40.31

O Cavalo Morto

palestra

Um certo homem manifestou interesse em dedicar sua vida a Jesus, mas, ao entrar na igreja ficou escandalizado, pois a pessoa que estava no púlpito discursando com tanta eloquência ele conhecia muito bem: era um caloteiro e péssimo vizinho.

Ficou muitos dias num dilema, pois, queria ser cristão, mas, seu ânimo esfriava sempre que se lembrava daquele homem.

Então, uma noite ele sonhou que viajava num deserto e tinha muita sede. Cada vez que ele via um poço de água, abaixava-se para beber, mas, só comia areia, pois, eram miragens.

Esta cena repetiu-se várias vezes, até que ele se viu num oásis, onde corria um córrego de águas cristalinas, mas não teve coragem de se abaixar novamente, pois, não queria mais encher a boca de areia.

Nisto um anjo apareceu e lhe disse: – Beba, esta água é verdadeira.

A princípio ele ficou desconfiado, mas, depois criou ânimo, abaixou-se e bebeu até saciar a sua sede. E a água era boa. Mas, ao erguer os olhos reparou que próximo ao córrego havia um cavalo morto e ele ficou muito preocupado, com medo que tivesse tomado água contaminada, mas, o anjo o confortou:

– Não fique preocupado! Esta água é a Palavra de Deus, as impurezas que você anda vendo por aí não têm o poder de invalidá-la. Beba sem medo!

Logo que acordou, abriu seu coração e recebeu a Cristo como único Senhor e Salvador de sua alma.

Disse Jesus: Bem-aventurado é aquele
que não se escandalizar de mim.
Mateus 11.6