Archives for : maio2016

Colossenses 2:16 e 17 Diz para não guardar o sábado?

Quando se é adventista do sétimo dia e guarda-se o sábado um dos textos mais usados pelas outras denominações para refutar a guarda do Sábado é o encontrado em Colossenses 2:16 e 17.Que contém o seguinte texto:
“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados [grego sabbátōn], porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.”

A Maioria das pessoas que vão interpretar esse texto sugerem que ela faz um progressão de dia/mês/ano, mas muitos comentaristas também podem ver claramente que é possível que Paulo tenha usado um Paralelismo, ANO/MÊS/ANO. Paralelismo muito comum no passado. E o mais importante é lembrar que Colossenses trata não com dias em si, mas trata-se em cerimônias.

É possível também achar no antigo testamento oito expressões idênticas a de Paulo que fazem o paralelo ANO/MÊS/SÁBADO

(veja Nm 28-29; 1Cr 23:29-31; 2Cr 2:4; 8:12, 13; 31:3; Ne 10:33; Ez 45:13-17; 46:1-15; Os 2:11). Mas um estudo exegético, linguístico, estrutural, sintático e intertextual de Colossenses 2:16 com esses textos, desenvolvido por Ron du Preez, constatou que o verdadeiro antecedente dessa expressão está em Oséias 2:11, que diz: “Farei cessar todo o seu gozo, as suas Festas de Lua Nova, os seus sábados e todas as suas solenidades”. Enquanto os dias de “festa” (hebraico hag; grego heortē) dizem respeito às “três festas de peregrinação da Páscoa, do Pentecostes e dos Tabernáculos”, os “sábados” (hebraico sǎbbāt; grego sábbata) se referem às três celebrações adicionais das Trombetas, da Expiação e dos Anos Sabáticos. – Ron du Preez, Judging the Sabbath: Discovering What Can’t Be Found in Colossians 2:16 (Berrien Springs, MI: Andrews University Press, 2008), p. 47-94. A tentativa de associar os “sábados” de Colossenses 2:16 com o sábado semanal parece não endossada nem pelo contexto anterior e nem pelo posterior dessa passagem.

No versículo 17 fala que esses “sábados” seriam sobras do que haveria de vir (morte expiatória de cristo) logo, está mais que claro de que esse texto fala da “festa da libertação” que acontecia de sete em sete anos, portanto, os Sábados Solenes e não Sábados semanais.

Compartilhar

Deixa ele dormir e não o desperte

Um ateu, depois de ouvir o testemunho de um homem que por muito tempo havia sido um beberrão, comentou de forma escarnecedora:
“Isso é uma grande bobagem! O que está me dizendo não passa de tolice e pura imaginação de sua mente. O que está acontecendo com você, nada mais é do que uma fuga da realidade. É um sonho!”

De repente o ateu sentiu um puxão em sua camisa e viu uma criança pequena olhando firme para ele, com os olhos confusos:
“Por favor, senhor”, disse a criança, soluçando, “se ele estiver sonhando, não o desperte. Ele tem sido um pai muito bom para nós desde que virou crente”.

O ateu ficou tão impactado com o testemunho daquela criança que afastou-se sem dizer nenhuma palavra mais.

Definição de Saudade – História Emocionante

Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional. Comecei a frequentar a enfermaria infantil e apaixonei-me pela oncopediatria. Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer.

Porém, com o nascimento da minha primeira filha comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças. Até o dia em que um anjo passou por mim!

Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injeções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de “químios” e radioterapias. Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes, também vi medo em seus olhinhos, porém, fraquejar, jamais!

Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe. A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.

– Tio, disse-me ela, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores. Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!

Indaguei: – E o que morte representa para você, minha querida?

– Olha tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos em nossa própria cama, não é?

– É isso mesmo.

– Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!

Fiquei “entupigaitado”, não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou a visão e a espiritualidade daquela criança.

– E minha mãe vai ficar com saudades, emendou ela.

Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei: – E o que saudade significa para você, minha querida?

– Saudade é o amor que fica!

Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição de saudade melhor, mais direta e mais simples que esta. Saudade é o amor que fica!

Meu anjinho já se foi, há longos anos. Eu pedi uma definição de saudade, mas, ela deixou-me uma grande lição que ajudou a melhorar a minha vida, a tentar ser mais humano e carinhoso com meus doentes, a repensar meus valores. Obrigado anjinho pelas lições e pela ajuda que me deste.

Que bom que existe saudade! O amor que ficou é eterno.

Título: Definição de saudade
Autor: Dr. Rogério Brandão
Médico oncologista clínico
RC Recife Boa Vista D4500
Cremepe nº 5758

Terra Fértil – Ilustração para Palestras

Um sujeito colocou seu sítio à venda.
Logo no primeiro dia apareceu um interessado.
– Bom dia, estou em busca de uma área para plantio, como é terra daqui, dá milho, feijão? Perguntou-lhe o visitante.
– Dá não, senhor, respondeu o proprietário.
– E mandioca?
– Dá não, senhor.
– Nem mandioca? Espantou-se o homem.
– Dá não, senhor.
O interessado não era um expert em solo, mas conhecia um pouco do assunto, olhou a terra ao seu redor e pareceu-lhe terra boa. Coçou a cabeça, como que para lhe ajudar a entender o caso, e fez a pergunta derradeira:
– E se plantar?
– Ah… moço, daí é uma maravilha. Daí dá de tudo. Dá batata, milho, feijão, inté mandioca.