Archives for : Ilustrações para pregações

Deus deixa os seus Rastros

Conta-se de um velho cristão analfabeto, que era homem de muita oração.

Certa vez um rico entrou em sua barraca e lhe perguntou:
– Como sabes que Deus existe, se você nem ao menos sabe ler?

O velho respondeu:
– Pelos Seus rastros. Deus deixa rastros por onde passa.
– Como assim? – indagou o chefe, admirado.

Humilde, ele explicou:
– Quando o senhor ouve passos de animais ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo, um boi ou um animal selvagem?
– Pelos rastros.
– Exatamente.

E o velho crente o convidou para fora da barraca e mostrando-lhe o céu, onde a lua brilhava, cercada por multidões de estrelas, exclamou, respeitoso:
– Senhor, aqueles sinais luminosos lá em cima são os rastros de Deus. Ele passou por ali! Por isso eu sei que Ele existe!

Compartilhar

Entrevista de Emprego para Pastor [Ilustração para Sermão]

Era uma vez uma igreja tão enjoada, mas tão enjoada que, mesmo precisando desesperadamente de um novo pastor, ninguém conseguia preencher seus “requesitos”.

Então, alguém da Comissão de Sucessão Pastoral teve uma idéia brilhante: “Vamos colocar um anúncio numa revista especializada”. Não era uma iniciativa muito ortodoxa, mas todos acabaram concordando.

Apareceram vários candidatos.
Este foi o relatório final do Relator da Comissão:

Candidato número 1: NOÉ
* Muito velho (tem 120 anos). Diz que é bom pregador, mas confessou que nunca conseguiu converter ninguém.

Candidato número 2: MOISÉS
* Gagueja demais (esse só aceitaria o convite se puder trazer seu irmão junto).

Candidato número 3: ABRAÃO
* Não pára em lugar nenhum e já se meteu em problemas com as autoridades.

Candidato número 4: DAVI
* Cometeu uns pecados imperdoáveis no passado.

Candidato número 5: SALOMÃO
* É um sujeito muito inteligente, mas não costuma colocar em prática o que sabe.

Candidato número 6: ELIAS
* Entra facilmente em depressão, se submetido à muito estresse.

Candidato número 7: OSÉIAS
* É um ótimo candidato, mas, sua vida familiar está em pedaços. Divorciado, casou-se com uma prostituta.

Candidato número 8: JEREMIAS
* Muito emotivo e alarmista (o sujeito parece ser uma dor de cabeça).

Candidato número 9: AMÓS
* O sujeito veio da roça (talvez devesse continuar por lá).

Candidato número 10: JOÃO BATISTA
* O sujeito não tem muito tato e se veste como um hippie (não se sentiria bem num jantar da nossa igreja).

Candidato número 11: PEDRO
* Candidato de temperamento forte, mas meio “covardão” (confessou que negou a Cristo três vezes publicamente numa única ocasião, por medo de uma mulher).

Candidato número 12: PAULO
* Este também não tem tato. Por demais duro, sua aparência é igual, e suas pregações são muito longas.

Candidato número 13: TIMÓTEO
* Tem potencial, mas é muito jovem para a posição.

Candidato número 16: JUDAS
* De todos, pareceu ser o mais aceitável. Sujeito prático, cooperador, bom com finanças, pensa nos pobres, e se veste bem.

A Comissão, por unanimidade, indica somente o último para a assembléia da igreja.

Deixa a Raiva Secar – Ilustração para pregação

Ela ficou muito brava e queria porque queria ir até a casa da amiga para brigar com ela. Mas a mãe ponderou:

– Você se lembra daquela vez que você chegou em casa com lama no seu sapato? Você queria limpar imediatamente aquela sujeira, mas sua avó não deixou. Ela lhe disse para deixar o barro secar, pois assim ficaria mais fácil limpar.

– Sim, mamãe, eu me lembro.

– Pois é, meu amor, com a raiva é a mesma coisa. Deixe-a secar primeiro, depois fica bem mais fácil resolver tudo.

Mais tarde, a campainha tocou: era a amiga trazendo um brinquedo novo, em reposição ao que havia quebrado, pelo que se desculpou.

E a menina respondeu:

– Não faz mal, não, minha raiva já secou!

Deixa ele dormir e não o desperte

Um ateu, depois de ouvir o testemunho de um homem que por muito tempo havia sido um beberrão, comentou de forma escarnecedora:
“Isso é uma grande bobagem! O que está me dizendo não passa de tolice e pura imaginação de sua mente. O que está acontecendo com você, nada mais é do que uma fuga da realidade. É um sonho!”

De repente o ateu sentiu um puxão em sua camisa e viu uma criança pequena olhando firme para ele, com os olhos confusos:
“Por favor, senhor”, disse a criança, soluçando, “se ele estiver sonhando, não o desperte. Ele tem sido um pai muito bom para nós desde que virou crente”.

O ateu ficou tão impactado com o testemunho daquela criança que afastou-se sem dizer nenhuma palavra mais.

Terra Fértil – Ilustração para Palestras

Um sujeito colocou seu sítio à venda.
Logo no primeiro dia apareceu um interessado.
– Bom dia, estou em busca de uma área para plantio, como é terra daqui, dá milho, feijão? Perguntou-lhe o visitante.
– Dá não, senhor, respondeu o proprietário.
– E mandioca?
– Dá não, senhor.
– Nem mandioca? Espantou-se o homem.
– Dá não, senhor.
O interessado não era um expert em solo, mas conhecia um pouco do assunto, olhou a terra ao seu redor e pareceu-lhe terra boa. Coçou a cabeça, como que para lhe ajudar a entender o caso, e fez a pergunta derradeira:
– E se plantar?
– Ah… moço, daí é uma maravilha. Daí dá de tudo. Dá batata, milho, feijão, inté mandioca.

Cuidado com o que Fala – Ilustrações para Sermões

Um pai de família chega em casa após cansativo dia de trabalho. Durante o jantar ele se põe a contar com entusiasmo acerca de um incêndio criminoso ocorrido na cidade, entrando em minuciosos detalhes da ação do incendiário.

Depois da refeição saiu em companhia da esposa, para uma breve caminhada. Entretanto, não havia passado nem meia hora quando foi chamado às pressas.

De longe pôde perceber que as chamas tomavam conta da sua casa. As labaredas consumiam com voracidade o lar que até há poucos minutos abrigava sua família. Ao longe gritou:
– Meu Deus, meus filhos!? 

Para seu alívio, encontrou-os no quintal, protegidos embaixo de uma árvore. Logo sua preocupação se volta para o incêndio:
– Quem teria feito isso? Não tenho inimigos…

Andando de um lado para outro e praguejando, ele concluiu:
– Foi um acidente… só pode ter sido um acidente.

Foi conversar com os filhos e um deles, de oito anos, confessou (em lágrimas) ter sido ele quem colocou fogo na cortina.

Por que? Estava apenas copiando os pormenores da descrição do incêndio criminoso feita pelo pai à hora do jantar.

Devemos considerar que o mal não merece comentários em momento algum, a menos que seja para ser corrigido.

As coisas más nem se nomeie entre vós,
como convém a santos.
Efésios 5.3

A Loja de Cruzes – Quero trocar a minha Cruz

Um cristão carregava sua cruz resignadamente quando avistou uma “Fábrica de Cruzes”. Entrou na loja da fábrica e perguntou:
– Vocês aceitariam a minha cruz à base de troca? É uma boa cruz, mas, já não estou mais aguentando o seu peso.
– Sem problemas, meu amigo. Escolha à vontade.

Passou, então, a experimentar várias cruzes, mas, nenhuma delas lhe agradava. Reclamava de todas:
– Essa é muito grande!
– Essa é muito longa!
– Essa é muito feia!
– Essa é muito mais pesada que a minha!
– Essa é muito áspera!
– Essa é muito fedida!
– Essa é muito…

Por horas, ele revirou a loja inteira, mas, justamente quando o vendedor estava quase perdendo a paciência, finalmente ele encontrou uma cruz de que gostou. Parecia ter sido feito sob medida para ele.
– Vou ficar com essa. Então, quanto lhe devo?
– Você não me deve nada, meu amigo. Nessa confusão toda, o senhor acabou escolhendo a sua própria cruz.

Se alguém quer vir após mim,
negue-se a si mesmo,
tome cada dia a sua cruz, e siga-me.
Lucas 9.23

Eu acredito na sua Causa!

Conta-se que durante a guerra da independência norte americana, um rapaz se aproximou do general Jorge Washington e lhe disse:
– Meu general, quero que saibas que creio de todo coração em ti e na causa que defendes.

Washington agradeceu firmemente aquelas palavras e lhe perguntou:
– Em que regimento estás servindo, meu jovem?
– Eu não estou no exército, senhor, sou um civil.

Ao que o general replicou:
– Se você realmente crê em mim, como diz, e também na causa que defendo, una-se ao exército imediatamente, pegue uma farda e suas armas, e venha para a luta.

Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo – II Timóteo 2.3

A Conexão do Milho

Um fazendeiro todos os anos ganhava um Prêmio de Qualidade pelo excelente milho que colhia e levava ao festival do milho.

Um repórter decidiu fazer uma matéria sobre o assunto e acabou aprendendo algo interessante sobre o cultivo de milho.

Quando o fazendeiro lhe contou que sempre dava de sua melhor semente para seus vizinhos, ele perguntou:
– Mas, eles estão competindo com você! Porque lhes dar da sua melhor semente?

– Por causa do vento! O vento nos conecta. O vento leva o pólen de um campo a outro. Se meus vizinhos cultivam milho inferior, a polinização degradará a qualidade de meu milho. Se eu quero cultivar milho bom, eu tenho que ajudar meu vizinhos a melhorar o milho deles.

A Doação da Cervejaria, trapaceando o Diabo

Numa pequena cidade dos Estados Unidos, havia uma igreja bem tradicional e uma fábrica de cerveja.

O pastor não poupava ataques à cervejaria em suas pregações.

Por razões pouco esclarecidas, a fábrica resolveu fazer uma doação de 150 mil dólares para a igreja, gerando um grande tumulto na cidade.

Os membros mais ortodoxos foram unânimes em denunciar que aquela quantia era um suborno satânico, que não poderia ser aceito.

Passada a exaltação dos primeiros dias, acalmados os ânimos, os mais ponderados começaram a analisar os benefícios que aquele dinheiro poderia trazer às instalações da igreja e, consequentemente, para toda a comunidade, como a reforma do salão de festas, por exemplo.

Reuniu-se, então, a igreja em assembléia para uma tomada de decisão. Depois de muita discussão a proposta foi aceita e registrou-se o seguinte no livro de atas:

“Por maioria de votos, resolveu-se aceitar a doação de 150 mil dólares feita pela cervejaria na firme convicção de que o diabo ficará furioso quando souber que o seu dinheiro vai ser usado para a glória de Deus”.