Archives for : Lindas Histórias

A teia da Aranha Mensageira – Ilustração para Sermões

Conta a história de um homem que estava sendo perseguido numa mata por vários malfeitores que queriam assassiná-lo entrou correndo numa pequena fenda de montanha, sem saber que era um beco sem saída.

Sem ter para onde ir, nem podendo voltar, escondeu-se atrás de um pequeno arbusto, agachou-se e clamou:
– Óh, Deus, tenha misericórdia de mim. Coloca, Senhor, um anjo na entrada desta fenda. Um não, Senhor, dois… melhor pensando, uma dúzia. Somente um grande milagre poderá me salvar.

Enquanto ouvia o aproximar-se do som dos pesados passos de seus perseguidores, reparou que uma aranha começou a tecer uma teia na entrada do lugar onde havia se escondido. Ficou muito irritado e começou a orar revoltadamente:
_ Senhor eu pedi um exercito de anjos e o senhor me mandou uma aranha!? esse é o valor que eu tenho?
Eu vou morrer aqui nas mãos destes homens.

Quando os malfeitores aproximaram-se do local, uns deles disse para os demais:
– Aí ele não entrou, tem teia de aranha… Venha, vamos por ali – E se foram embora.

Lembre-se: Nunca despreze as pequenas soluções apresentadas por Deus a você!

Compartilhar

Uma águia entre as galinhas – Ilustração para Sermão

Era uma vez um camponês que foi a floresta vizinha apanhar um pássaro para mantê-lo em sua casa. Conseguiu pegar um filhote de águia. Coloco-o no galinheiro junto com as galinhas. Comia milho e ração própria para galinhas, embora a águia fosse o rei de todos os pássaros.

Depois de cinco anos, este homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
– Esse pássaro aí não é galinha. É uma águia.
– De fato, disse o camponês, é uma águia, mas eu a criei como galinha. Ela não é mas uma águia. Transformou-se em galinha como as outras, apesar das grandes asas.

– Não, retrucou o naturalista, ela é e será sempre uma águia, pois tem um coração de águia e este coração a fará um dia voar ás alturas.
– Não, não, insistiu o camponês, ela virou galinha e jamais voará como águia.

Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse:

– Já que você de fato é uma águia, abra suas asas e voe!

A águia pousou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.

O camponês comentou:
– Eu lhe disse, ela virou uma galinha!

– Não, tornou a insistir o naturalista, ela é uma águia e uma águia será sempre uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.

No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa e sussurrou-lhe:
– Águia, já que você é uma águia, abra as suas asas e voe!

Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas. O camponês sorriu e voltou à carga:
– Eu lhe disse…!

– Não, respondeu firmemente o naturalista, ela é águia e possuirá sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma ultima vez. Amanhã eu a farei voar.

No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo, pegaram a águia, levaram-na para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha.

O sol nascente dourava os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:
– Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe!

A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte. Nesse momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergue-se, soberana, sobre si mesma, e começou a voar, a voar para o alto,
a voar cada vez mais para o alto. Voou… voou… até confundir-se com o azul do firmamento.

– Irmãos e irmãs, meus compatriotas! Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus! Mas houve pessoas que nos fizeram pensar como galinhas. E muitos de nós ainda acham que somos efetivamente galinhas. Mas nós somos águias. Por isso, companheiros e companheiras, abramos as asas e voemos. Voemos como as águias. Jamais nos contentemos com os grãos que nos jogarem aos pés para ciscar.

Autoria: Leonardo Boff

 

Deus te deu a oportunidade por natureza de ser algo melhor, entretanto, por muitas vezes satanás tentará te encantar com as migalhas do mundo, procure ser sábio para escolher ser a águia de Deus.

ilustracao sermao aguia

“Não” também pode ser a resposta de Deus – Ilustração

boneca na vitrine

Certa vez em sua escola Aninha ouviu de seu professor que Deus sempre respondia as orações sinceras das pessoas, aquela mensagem impressionou a pequena garota que pensava: “Como alguém tão grande pode responder a todos os nosso pedidos?”
Ao anoitecer juntamente com os pais durante a janta ela não pode conter a forma como estava maravilhada, pediu incluindo para que seus pais a deixasse orar e agradecer pela comida, entretanto, o pai que era ateu convicto não estava feliz com a situação, ao contrário estava irritado com o professor dizendo que o professor estava ludibriando a sua filha.

O tempo passou e a fé da pequena menina só aumentava;

Certa vez ela estava passeando com o pai no centro da cidade e ao passar em frente a uma loja que tinha em sua vitrine uma boneca muito linda, Aninha parou em frente a vitrine e com fé orou:
_ Senhor Deus, toque o coração do meu pai para que ele me dê de presente essa linda boneca!

O Pai, ficou ofendido e ali viu uma oportunidade para eliminar a fé da menina e por ódio, mesmo com condições para comprar a boneca decidiu não compra-la.

Depois de irem embora, ao chegar em casa o pai foi até a menina e disse:
_ Viu filha, Deus não respondeu a sua oração!

Aninha responde:
_ Deus respondeu sim minha oração.
_ e a resposta Dele foi “Não”!

 

“Fico pensando na nossa imaturidade para com a vida e como a dor e o sofrimento nos fazem esquecer que Deus é um ser onisciente e que as escolhas Dele sempre serão as melhores para a nossa vida, como uma criança, precisamos aprender que Deus responde a todas as orações e a alguma delas a resposta pode ser um simples não”

Quando o homem descobriu o amor

Uma semana após a criação da mulher, o homem voltou-se à Deus e disse-lhe:
– Senhor, a criatura que fizestes para ser minha companheira transformou a minha vida num tormento. Ela fala sem cessar e insiste em que lhe dê atenção o dia inteiro. Chora por qualquer motivo. Fica emburrada com facilidade e é quase impossível fazer com que deixe de ficar emburrada. Vim devolvê-la.  Por favor, não se ofenda, mas, não posso viver com ela.

Uma semana depois:
– Senhor, minha vida ficou tão vazia desde que eu lhe devolvi a mulher que me deste. Penso nela o tempo todo, em sua alegria, seus olhos, sua voz, seus beijos e abraços. Como dormia em meus braços, como se fosse um anjo. Se for possível, Senhor, peço que a devolva para mim.

Uma semana depois:
– Senhor, não sei como lhe explicar, mas nestas últimas semanas cheguei à conclusão que ela me causa mais problemas do que alegrias. Tome-a de volta, por favor! Não consigo viver com ela!

– Mas, também não pode viver sem ela!

– É verdade, Senhor, não consigo viver com ela e não consigo viver sem ela. O quê está acontecendo comigo, meu Deus?

– Você acaba de descobrir o AMOR. O único modo de vocês conseguirem viver juntos é com amor.

O amor tem suas histórias cabeludas

Um casal muito pobre queria se presentear no Natal, mas nenhum dos dois tinha dinheiro.

A Esposa, tinha um cabelo maravilhoso, resolveu vendê-lo para comprar uma pulseira nova para o marido colocar no relógio que havia herdado do pai (uma jóia que acompanhava a família há três gerações), e que há muito tempo estava com a pulseira quebrada.

Quando o marido chegou em casa, na noite de Natal, levou um tremendo susto ao vê-la de cabelo curto, mas sua surpresa foi ainda maior quando ela lhe deu a pulseira, pois, para poder comprar para ela dois pentes raros, de casco de tartaruga, orlados de pedraria, na cor exata para combinar com seu cabelo, ele havia vendido o relógio.

Eu sei quem você é – Uma História de Alzheimer

Todas as manhãs um senhor idoso pegava aquele ônibus lotado e descia em frente à uma clínica. Certo dia, uma moça que sempre o observava, perguntou-lhe: – O senhor trabalha nesta clínica?

– Não, respondeu ele, minha esposa está internada aí. Ela tem o mal de Alzheimer.

– Puxa, lamento muito. E como ela está?

– Não está muito bem. Está com a memória bastante prejudicada. Já nem me reconhece mais.

– Mesmo assim o senhor enfrenta este ônibus lotado todos os dias, somente para vim visitá-la.

– Sim!

– Mas, se ela já não o reconhece mais, nem se lembra das coisas, porque o senhor vem todos os dias?

– Ela já não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é. Ela não se lembra mais das coisas, mas eu jamais me esquecerei dela.

Um Domingo Quase Igual

Mamãe estava muito concentrada fazendo o almoço de Domingo, quando papai convidou-me para ir com ele comprar guaraná.

Saímos com duas sacolas cheias de vasilhames. Eu estava ficando animado, pois estávamos chegando perto do bar. Para minha surpresa, ele passou direto, sem parar, parecendo não ter visto o bar.

Então perguntei: – Pai, você não vai comprar aqui?

E ele respondeu: – Vamos mais adiante.

Seguimos mais alguns metros e chegamos perto da padaria, que fica bem em frente a adega. Fiquei intrigado quando tranqüilamente ele seguiu em frente como se não tivesse visto nem uma nem outra.

Tornei a perguntar: – Pai, nós não vamos pegar os refrigerantes aqui?

Pacientemente, respondeu-me: – Só mais um pouquinho e nós vamos chegar ao mercado.

Confesso que estava ficando chateado e bravo, pois tínhamos passado por três lugares diferentes que vendiam guaraná e o meu pai quis andar mais só para comprá-los ali.

Ao entrarmos no mercadinho, Sr. Silva nos deu um sorriso muito gostoso e espontâneo. A primeira coisa que perguntou foi se a mamãe havia melhorado do resfriado.

Prestativamente foi pegando nossas sacolas e colocando nelas os refrigerantes. Meu pai quis saber notícias da mulher dele, dona Maria. Foi informado de que ela estava arrumando a casa e preparando o almoço, pois o domingo era o único dia da semana em que não trabalhavam o dia todo. Os dois conversaram mais um pouco e então pude observar a amizade e o carinho que respeitosamente tinham um pelo outro.

Ao despedirem-se, Sr. Silva fez um gesto carinhoso na minha cabeça, olhou-me com ternura e comentou com meu pai: – Como está bonito este garoto! Você deve ter muito orgulho dele!

Saímos do mercadinho e voltamos para casa. No caminho comecei a pensar e responder no lugar do meu pai à pergunta que eu mesmo havia lhe feito enquanto íamos. O preço daquele refrigerante era mais ou menos igual em qualquer um dos lugares, só que ali, naquele mercadinho, tanto eu quanto meu pai sentimo-nos reconhecidos como seres individuais, pessoas distintas e diferentes do mundo.
Naquele domingo aprendi uma lição especial; igual em conteúdo, em rótulo e em tampinha só mesmo o guaraná.

Eu sou alguém especial, tenho minha individualidade e devo valorizar-me por isso, fazendo a mesma coisa com as outras pessoas. Isto é muito legal e faz com que nos sintamos muito bem.

Quanto vale um copo de Leite? Linda história!

um copo de leiteUm dia, um rapaz pobre que vendia mercadorias de porta em porta para pagar seus estudos, estava com muita fome e só lhe restava uma pequena moeda no bolso.

Decidiu, então, que ao invés de tentar vender, iria pedir comida na próxima casa; porém seus nervos o traíram quando uma encantadora jovem lhe abriu a porta.

Em vez de comida, pediu um copo de água. A mulher percebeu que ele estava com fome e lhe deu um grande copo de leite. Ele bebeu devagar e depois lhe perguntou:

– Quanto lhe devo?
– Não me deve nada – respondeu ela. E continuou: – Minha mãe sempre nos ensinou a ajudar as pessoas.
– Pois te agradeço todo coração, a você eà sua mãe.

O rapaz saiu daquela casa não só refeito fisicamente, mas também com sua fé renovada em Deus e nos homens. Ele já havia resolvido abandonar os estudos devido às dificuldades financeiras que estava passando, mas aquele gesto de bondade o fortaleceu.

Anos depois, essa jovem mulher ficou gravemente doente. Os médicos locais estavam confusos. Finalmente a enviaram à cidade grande, para se tratar.

O médico de plantão naquele dia era o Dr. Howard Kelly, um dos maiores especialistas do país naquela área. Quando escutou o nome do povoado de onde ela viera, uma estranha luz encheu seus olhos e de pronto foi ver a paciente.

Reconheceu-a imediatamente e determinou-se a fazer o melhor para salvar sua vida, passando a dedicar-lhe atenção especial. Contudo, nada lhe disse sobre o primeiro encontro que tiveram no passado.

Depois de uma terrível batalha, eles finalmente venceram aquela enfermidade.

Ao receber alta, ela teve medo de ver a conta do hospital, porque imaginava que levaria o resto da sua vida para pagar por aquele tratamento tão caro e demorado. Quando, finalmente, abriu a fatura, seu coração se encheu de alegria com estas palavras: “Totalmente pago – há muitos anos – com um copo de leite – ass.: Dr.Howard Kelly.” Só então ela se lembrou de onde conhecia aquele médico.

Um Rosa? ou um Porco Espinho?

Umrosaa história para ilustrar o amor entre as pessoas é a de um homem  que nunca tinha visto uma única rosa em sua vida, entrou numa floricultura e comprou um lindo arranjo para dar para a sua esposa, mas, tanto gostou daquelas maravilhosas flores que, posteriormente, comprou umas mudas de roseira e passou a cultivá-las no quintal da sua casa.

A princípio, cuidou muito bem delas, porém, antes que um único botão surgisse em sua plantação, ele ficou abismado com a quantidade de espinhos:
– Como pode uma flor tão linda vir de uma planta tão espinhosa?

Entristecido, abandonou o cultivo e deixou que as plantas morressem por falta d’água.

 

Aplicação: Temos que ter em consciência que se ferirmos as pessoas que estão dispostas a cuidar bem de nós, corremos o risco de faze-las desistir de nós e então deixar o sentimento morrer.

Um amigo de Jesus, Nisto conhecerão que são meus

maca do amorEra um dia comum em uma estação de trem numa grande metrópole, no meio de toda a multidão da estação nota-se uma pequena menina vendendo maçãs do amor, as pessoas passam por ela com tanta pressa que nem são capazes de notar suas pequenas mãozinhas estendidas oferecendo as “Deliciosas maçãs do amor da Juju”.

Então, algo desastroso acontece…

Na chegada de um dos trens que estava lotado as pessoas saem com tanta pressa de dentro do trem que “atropelam” a pobre menina, a caixa que continha as suas maçãs-do-amor cai no chão e as pessoas começam a pisotear as maçãs, ela tenta até recuperar as maçãs mas a multidão a impede. Ao final de todo o show de horror que ela passou, um homem para e começa a ajuda-la a recolher suas maçãs, com muita dó dela.

As maçãs estavam estragadas e sua decepção foi logo expressada:

_ Ahh, isso não é bom, essas maçãs eram tudo o que eu tinha para conseguir dinheiro para o remédio da minha mãe!

O homem ao ouvir isso sugere:

_ Quer saber? vou te contar um segredo! sou um grande admirador de maçãs do amor! quero comprar todas elas de você, não importa se estão quebradas eu gosto tanto que compro elas assim mesmo.

Os olhos dela começam a brilhar de emoção, ela fica paralisada e sem ação, apenas aceita a oferta daquele estranho e ao vê-lo ir embora corre na direção dele e diz:

_Senhor, Senhor! posso fazer uma pergunta? ouvi falar de um homem que vive a sua vida ajudando as pessoas, eu acho que o senhor é esse homem! O senhor é Jesus?

_ Não, mas sou amigo dele! Responde o homem com positividade e seus olhos cheios de lágrimas.

 

Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos,
se tiverdes amor uns aos outros. (João 13.35)